terça-feira, 23 de dezembro de 2008

desejos natalícios e 9 votos para 2009

em primeiro lugar (no campeonato), desejo um feliz natal a todos os leitores, comentadores, coladoradores, amigos e amigas - Benfiquistas e não só - que fazem o favor de ler este blogue nos mais variados cantos:
suiça
r.a.e. macau
r.a.e. hong kong
china
hong kong
marrocos
reino unido
guam
portugal
estados unidos
canadá
brasil
espanha
frança
bélgica...

depois, e porque será a minha última posta de 2008, os votos de que 2009 seja um ano em grande!
agora os meus 9 desejos, com pendor mais clubístico, arbitrariamente ordenados, para 2009:
1. um estádio cheio em todos os jogos que faltam até ao final do campeonato - é sinal de que estamos no bom caminho;
2. um defesa-direito e um médio ofensivo que faça as vezes do Aimar;
3. que os árbitros não nos beneficiem, mas que também não nos vilipendiem como aconteceu ontem e em vários jogos esta época;
4. que o Quim recupere e que volte a ser decisivo;
5. que o Quique se mantenha até ao final do campeonato;
6. que o campeonato seja conquistado antes da última jornada. pela amostra, teremos dificuldades em contornar os obstáculos (roubos?) colocados pelas arbitragens;
7. que o Suazo seja mais vezes decisivo;
8. que o Yebda volte a ser o jogador que já foi e que o Reyes recupere depressa;
9 . que todos os desejos acima se concretizem mas, se nenhum deles for possível, que o Sport Lisboa e Benfica seja campeão.

com saudações gloriosas, despeço-me com amizade e agradecido pelas vossas visitas, paciência e comentários simpáticos.

já começa a dar nas vistas

o que vi aos repelões na justintv?
pouco. o Benfica, atabalhoado. com poucas ideias. faltam ideias. falta alguém que pense o jogo. falta rapidez.
não percebo como é que o Aimar aquece e não entra. sentou-se no banco depois de alguns minutos em exercícios atrás da baliza e Quique fez avançar Urretaviscaíndo quando já antes tinha metido em campo o nosso Capitão.
era importante ganhar esta partida. muito importante. o meu corpo, ou a mente que nestas coisas é a mente que comanda o corpo, transportou-se para a antiga Catedral e esteve os últimos minutos a tremer por todos os lados. isso acontecia quando as bancadas não tinham cadeiras, nos jogos de inverno. o cimento, frio, e o nervoso, grande e dos grandes jogos, não me permitiam controlar os tremeliques.
tivemos já dois empates estúpidos em casa. 4 pontos que nos dariam uma vantagem apreciável.
hoje, mais do que tudo, só nos podemos queixar do que não fizemos, é certo. mas ninguém me tira da cabeça que o major, perdão, tenente-coronel henriques, sportinguista confesso, nos tirou dois pontos. digo isto porque vi. e, caso não tivesse visto, até o joaquim rita conseguiu - a custo, é certo - dizer que o golo do Cardozo é limpo como a água do luso (acrescento eu).
srs. árbitros, já começa a dar nas vistas. amarelos inexistentes. golos anulados. tudo parece normal até certo ponto. agora basta! ontem vi dois penalties poupados ao nosso mais directo concorrente. hoje vi um penalty sobre o nosso Capitão e um roubo, não de igreja, como gostam de dizer os nossos adversários, mas de Catedral.
quatro vitórias e dois empates fora de casa. 3 vitórias e três empates em casa e liderança nesta altura sabe a pouco. ficámos pela primeira vez em branco.
resta esperar pelo resto do campeonato mas, pela amostra, vamos ter de lutar contra tudo e contra todos e até contra o exército, não é sr. tenente-coronel henriques?

p.s. - veio o referido militar, depois do jogo, dizer o seguinte: "Não vou discutir se foi intencional ou deliberado, porque a intencionalidade foi retirada da lei.".
vamos então ver o que dizem as regras da international board association que podem ser retiradas aqui:

"A direct free kick - sr. tc henriques, eu poupo-lhe a tradução, quer dizer "pontapé livre directo" - is also awarded to the opposing team if a player commits any of the following three offences:
em bom português, meu tc, quer dizer: também é concedido à equipa contrária se um jogador cometer alguma das três acções seguintes:
• holds an opponent - agarrar um adversário;
• spits at an opponent - cuspir num adversário;
• handles the ball deliberately (except for the goalkeeper within his own penalty area) - agora muita atenção, sr. sportinguista: agarrar a mão deliberadamente (excepto no caso do guarda-redes dentro da sua grande área). ora o Miguel Vítor não é guarda-redes nem estava na sua área.

vou repetir, senhor badamerda:
• handles the ball deliberately (except for the goalkeeper within his own penalty area) - agora muita atenção, sr. sportinguista: agarrar a mão deliberadamente (excepto no caso do guarda-redes dentro da sua grande área);
já percebeu. humm, ainda não? aqui fica em bold, digo a negro, não vá o senhor ter dificuldade em perceber:
• handles the ball deliberately (except for the goalkeeper within his own penalty area) - agora muita atenção, sr. sportinguista: agarrar a mão deliberadamente (excepto no caso do guarda-redes dentro da sua grande área).
bem sei que já estou fora de Portugal há algum tempo, mas continuo a escrever - mal ou bem - em português. deliberadamente significa com intencionalidade, de forma deliberada.

num segundo, sr. pedro henriques, tenho aqui 3 problemas e 1 conclusão:

problemas:
1. ou você não sabe as regras?
2. ou, deliberadamente, eu repito, deliberadamente tentou sonegar uma vitória ao Benfica para favorecer quem lhe paga ou o clube do seu coração?
3. ou não sabe o que quer dizer deliberadamente e mentiu aos portugueses quando disse que a intencionalidade tinha sido retirada da lei?

conclusão:
qualquer que seja a resposta, o meu tc henriques não pode apitar mais nenhum jogo de futebol da liga profissional. olhe, apite o da primeira contra a segunda companhia e vá até ao iraque como o seu colega capitão ferreira.

segunda-feira, 22 de dezembro de 2008

campeão de quê?

há umas semanas concordei com o dias ferreira. bom, não foi bem com ele mas com o que disse no programa de debate mais visto da televisão.
podia ter sido por causa da ligação que tem a um grande Amigo Benfiquista. mas não. nada disso.
dizia o exmo. senhor, entre o normal ódio destilado ao Sport Lisboa e Benfica, que achava ridículo que os jornaleiros começassem a chamar ao Benfica campeão de inverno.
eu também acho. não ganhámos nada. estamos em primeiro, vamos passar o ano em primeiro (com 1, 2 ou 4 pontos de vantagem) mas, até ver, isso não dá um título no palmarés, ou a entrada na liga dos campeões. será bom ganhar hoje. eu diria, essencial levar de vencido o nosso opositor. confesso que, mais uma vez arreliado com as insónias que me têm apoquentado, vi o jogo do fcp até ao fim. e confesso que fiquei (muito) contente com o resultado, como se disso dependesse a vitória e o título que mais queremos: o de campeão da liga sagres.
e, bem vistas as coisas, depende.
mas, para que isso aconteça, temos de vencer o nacional que é osso duro de roer.
por tudo isso, tenho pena de não estar em portugal nesta quadra para visitar aquela que também é a minha Casa.
lanço assim, desde o oriente, que se apresenta com temperatura amena para a época, um apelo: compareçam hoje na Catedral e ajudem-nos na caminhada para o título de primavera. o único que podemos almejar e aquele que é mais apetecível!
é que sempre preferi sagres a carlsberg!

sexta-feira, 19 de dezembro de 2008

traumatismo ucraniano

mantive-me estoicamente acordado até à hora do jogo. como? a jogar psp. sem o nervoso das quartas-feiras (sim, para mim ainda tem este nome) europeias, eram 3:45, e estava o tiger woods a fazer um birdie que lhe deu a vitória num daqueles torneios virtuais em que se ganha uma pipa de massa também ela virtual.
pensei: azar ao jogo, sorte ao amor. e, de repente, liguei a antena 1 em cadeia com a rádio macau.
o amor, claro está, é ao Benfica. sim, ontem, mais do que tudo jogava-se por amor. à camisola, ao historial, aos títulos conquistados. enfim, era tudo menos um jogo. seria uma boa oportunidade para que os menos utilizados demonstrassem que o que se passou com os turcos e os gregos foi por acaso e que realmente valemos mais do que aquelas patéticas derrotas. puro erro. o amor a uma causa é assim. cego.
voltando ao momento em que liguei o rádio, consegui ouvir o urretaviscaíndo a falhar um golo incrível. aí, tive um traumatismo que adormeceu a parte do cérebro que ainda funciona e que me impediu de ouvir o resto do desafio. ainda bem.
sobretudo a partir do jogo com o sportém, estive alguns meses sem as arreliadoras dores de cabeça,. mas, nos últimos dias, elas voltaram. não sei se há causa-efeito entre os maus resultados do Benfica e esta cefaleia incomodativa. vou esperar por segunda-feira para confirmar se o melhor é deixar de amar desta forma cega e doentia.
já agora, e em tempo de natal, aqui vai o meu pedido ao menino Jesus: uma vitória convincente frente aos funchaleiros, com um golo do jogador, quem marcou foi o jogador...

preocupação a duas horas do jogo

a duas horas do jogo, estou preocupado. é que no outro jogo um empate é difícil.

quinta-feira, 18 de dezembro de 2008

8, número 8


em mandarim a fonética do número 8 (八,捌) é semelhante a prosperidade ou riqueza.

em cantonês ou cantonense, como preferirem, passa-se o mesmo.

quando se juntam dois oitos "88", significa dupla felicidade.

há quem pague fortunas por um número de telefone com muitos oitos.

na China há alguns anos, hoje, um oito a zero, apesar de impossível, dar-me-ia dupla felicidade, ainda para mais se no outro jogo do grupo os gregos empatassem com os alemães.

é impossível? é. mas pode acontecer? pode. é provável? não. mas ainda há esperança? quase nenhuma...

terça-feira, 16 de dezembro de 2008

sinto-me des...


desanimado
desapontado
desatinado
desfalcado
desintegrado
desarreigado
desarrebitado
desarticulado
desarmonizado
desapurado
desaquecido
desarado
desapaixonado
desgostoso
descostado
desquicado
desaproximado
desreyesado
desaprumado
desaquinhoado
desarmado
desasado
desassenhoreado
desassisado
desaurido
desbagado
descardozado
desastrado...

e por aí fora.

segunda-feira, 15 de dezembro de 2008

só este Senhor para me animar (RAP)

"A chama imensa
Benfica TV lidera audiências (em minha casa)
Por

ricardo araújo pereira

NA semana em que o Benfica deu 6 a uma equipa da primeira divisão, o Porto não conseguiu dar mais de 4 a uma da terceira. Começam a ser cansativas estas constantes demonstrações de superioridade. Já agora, se me permitem, gostaria de fazer uma referência muito terna ao speaker que animava o público no estádio do Marítimo, e que, antes do início do jogo, fez por galvanizar os presentes com a divertida referência: «Vamos apostar no número 5, que é um número de que o Benfica não gosta». Como se viu, teria sido mais ajuizado apostar no número 6. O Benfica proporciona situações mesmo giras.

Até a nossa eliminação da Taça de Portugal, sendo embora desagradável, tem marca de campeão. Não só contribui para aumentar a nossa concentração no campeonato como faz ver à TVI que não se brinca com o Benfica. Se é isto que pagam por cada transmissão mais vale ficar em casa. Desta vez boicotámos a flash-interview. Na próxima eliminatória boicotamos o jogo inteiro. Vamos, aliás, boicotá-los todos até à final. Nesta edição da Taça não aparecemos mais, a ver se eles aprendem. E assim, sem termos perdido um único jogo, saímos da Taça com a dignidade dos invictos e ainda ensinamos uma bonita lição a quem tem a desfaçatez de ser forreta tão perto do Natal. Ou muito me engano ou José Eduardo Moniz, na noite da consoada, vai receber uma visitinha do Fantasma do Natal Passado.

Oprincipal facto desportivo da semana que passou é, contudo, o início das emissões regulares da Benfica TV. Como é apropriado, uma vez que lideramos o campeonato, também o nosso canal é líder de audiências — pelo menos em minha casa. Desde que a Benfica TV começou a transmitir 24 horas por dia nunca mais liguei para outro canal. Está sempre qualquer coisa interessante a dar, seja uma entrevista de fundo a um futebolista dos juvenis, seja uma reportagem sobre os mais recentes êxitos do râguebi, seja uma opinião avulsa obtida junto de um adepto que, apesar de estar razoavelmente ébrio, consegue ainda assim proferir palavras de uma sensatez assinalável.

Durante a noite, pelo sim pelo não, deixo a televisão ligada e programo o despertador para acordar de hora a hora, para me certificar que não estou a perder notícias urgentes. Por isso, a Benfica TV é, neste momento, um dos móveis da minha sala. E é, sem dúvida nenhuma, o mais útil.

Pinto da Costa disse que nem toda a gente ficou contente com a vitória do Porto na Liga dos Campeões e, por muito raro que isso possa ser, a afirmação corresponde à verdade. Eu, por exemplo, não fiquei contente. Não gosto de ver crianças a chorar e o facto é que aquela equipa de juvenis do Arsenal abandonou o estádio do Dragão desolada."

sexta-feira, 12 de dezembro de 2008

quinta-feira, 11 de dezembro de 2008

JLP

"6-0, 1º lugar
Com uma febre danada e umas dores de cabeça pesadonas como pianos de cauda largados pela janela, só este assunto me arrastaria para a página. Falo, claro, do primeiro lugar do Benfica. E também, já agora, da goleada histórica que demos à equipa de Alberto João Jardim. Uma jornada para emoldurar como inspiração permanente.
Quanto ao primeiro lugar, é o nosso lugar natural, pois, o único em que o Benfica se assemelha a si mesmo. Mas a verdade é que andamos longe dessa “casa própria” há uns tempos, de modo que é normal um certo festejo. Com os pés na terra, mas também sem poupar nas alegrias. Não se trata de xingar os clubes que sofrem lá para baixo na tabela, é só que a tradução benfiquista do dito santoagostiniano, “Homem, torna-te aquilo que és”, merece festança e crónicas exclamativas!
Na Madeira Suazo arrasou. Com aquele estilo de passos certos, nenhum gasto de energia desnecessário, nenhum floreado estapafúrdio, o nosso hondurenho arrasa supermuito. Um jogador à antiga, um cromo sépia, elevação e frases secas, olé. Começou por furar o nulo tenebroso com que começam todas as partidas, fugindo sem medo, tocando a bola ao de leve com a chuteira pensativa – só conseguiram pará-lo com uma ilegalidade. Penálti, tcha-nã. No momento solene da marcação, Reyes morde o lábio, sorri. E a dúvida em grande plano: quem vai levar a melhor, o nervosismo ou a malandragem do craque? Plim, golo – a bola na sombra interior do poste, o cúmulo da pontaria.
Depois é sempre a subir. Nem dá para escrever tudo. Seis golos davam para vários livros, livrões duplos, triplos, à moda russa. Mas não resisto a recontar um pouco mais da Saga de Suazo. (Perdoem-me só uma ligeira interrupção para tomar um remédio antifebres e repetir o resultado histórico: seis-zero, 6-0, seis batatas sem resposta.) Mas, Suazo, dizia. O homem é um astro dos que sabe manter a lucidez da gente normal, boa onda, e isso não há dinheiro que pague. Sim: havemos de ser campeões com suazos destes. A leveza quase distraída com que ele voa para cabecear aquele novo golo! A sabedoria com que ele chuta aquele chuto oblíquo que põe a bola lá no lugar dela, a baliza adversária, onde ela quer viver para sempre.

(no JN de hoje)" ou aqui.

segunda-feira, 8 de dezembro de 2008

Suazelência

Suazelência
apresento-lhe os meus melhores, mais respeitosos e felizes cumprimentos.
não fiquei contente com o falhanço nos momentos iniciais e, depois, com os outros que Suazelência teve no resto do jogo.
penso mesmo que Suazelência deveria ter saído com um poker do estádio dos barreiros. o resultado ficaria 0-8, que, por acaso, é o que precisamos para passar à fase seguinte da uefa. era uma espécie de ensaio geral para que não dissessem que comprámos os ucranianos.
mas, apesar de tudo, o golo que Suazelência marcou já na segunda parte, deixou-me estarrecido. sem palavras. vergo-me perante a imponência de um monumento ao futebol que só no fifa09 consigo marcar.
está assim desculpado do que fez a um seu servo que, madrugada alta de um dia feriado (já era dia 8 aqui na terra e é feriado como na terra que o acolheu), sofreu naqueles primeiros minutos.
sofreu com o seu falhanço como sofreu com o penalty marcado pelo melhor jogador em campo, também ele majestade, de nome Reyes. aquilo é para parar o coração destroçado pelos últimos resultados!
obrigado às honduras por terem um Rei assim e obrigado ao Benfica por proporcionar momentos como o desta madrugada...

ao contrário do paulo bento, não gosto de falar de arbitragens. no entanto, houve um tal de dias que depois de não ter outra alternativa que não fosse expulsar o guardaneta (estou a gostar muito do sabor castelhano do Glorioso) do club sport marítimo, começou a distribuir cartões à razão da fruta que Sua Majestade, Reyes, apanhava dos maritimistas. o do Ruben é perfeitamente patético e anedótico. como é possível mostrar-se um cartão a um jogador que estava apenas ao pé de um outro que se lesionou sozinho ao pontapear a relva? já na segunda parte, o auxiliar, bandeirinha, para não lhe chamar outro nome, ainda tentou que o tal do dias expulsasse Sua Majestade, Reyes. não conseguiu. deve haver muita azia ali para os lados de s. dias do coroado.

no final, quando já eram 5:15, tive uma sensação de dever cumprido - ter ficado acordado para ver um bom Benfica que goleou à antiga - e um bom prenúncio para um feriado descansado. é que desde que tinha menos 1 ano que o Benfica não ganhava fora de casa por mais de 5. a última grande goleada (0-5?) que me lembro - fora de casa, claro está - (ando com pouca memória) foi uma ao união da madeira na época, salvo erro, de 93-94, onde um dos marcadores foi o ailton...

last but not the least os jornaleiros passaram o fim-de-semana todo a dizer que o terceiro e o quinto classificados estavam a pressionar o Glorioso. o Glorioso respondeu à campeão, digo eu, ou pelo menos à primeiro classificado na liga sagres.

para a semana é a festa da taça. depois daquele golo já no canto do cisne no estádio do mar para o campeonato, temos de mostrar quem é realmente a melhor equipa.

quinta-feira, 4 de dezembro de 2008

prato da semana

tem piada e não ofende...
o prato da semana: pato à peQUIM

prognóstico para a última jornada



o adepto esqueceu-se de dizer que os outros dois têm de empatar...

quarta-feira, 3 de dezembro de 2008

terça-feira, 2 de dezembro de 2008

a excepção da regra

ao contrário do que tem sido regra em quase todos os jogos desta época, e apesar da transmissão televisiva na rtpi - i.e., sem as paragens do justintv - esta madrugada não vi o jogo.
ainda programei 4:15 no despertador. ainda acordei. ainda pensei o que penso várias vezes quando o maldito do blackberry começa a zurrar: "só mais 15 minutos e já acordo", na esperança de que o Benfica mantivesse, como manteve, a regra de não marcar na primeira parte quando joga na Luz. em regra, este "só mais 15 minutos" é algo que, quase sempre, dura muitos quartos-de-hora. mas não. nada. não acordei.
talvez seja ainda a ressaca de ter estado até às 6 da manhã a ouvir a tragédia grega. ou então por não acreditar genuinamente nesta equipa. bem, eu quero acreditar, mas jogos como o de ontem levam a parte pequena do meu cérebro que funciona a ver o fantasma do engenheiro e do camacho que aparece nos piores pesadelos. e lá se foi a oportunidade de estarmos na frente à décima jornada que, segundo um presidente arguido de um clube do norte, e como tem sido regra, normalmente significa ser campeão em maio. como não há regra sem excepção, tenho fé que vamos ganhar. o problema é que a regra tem sido não ganhar e que o quim está a tornar-se num caso sério de uma regra que oferece golos...
para a semana, jogo muito difícil no estádio dos barreiros. oxalá, nessa altura, esteja a escrever algo diferente... para contrariar as regras.

sexta-feira, 28 de novembro de 2008

tragédia da rua do flores (original de sófocles)

david luiz, sidnei, jorge ribeiro, ajudados por quim, são todos filhos da tragédia que unira mãe e filho, taça uefa e campeonato. após a morte da primeira, quique, de apelido flores, casado com escribá e pai de uma equipa destroçada, conquistara o trono do país. a taça uefa teve um funeral de honra, o sonho europeu foi enterrado, pois era considerado um objectivo menor; o corpo deveria ficar sob o sol, até ser devorado pelos jornais. opondo-se ao rei, Eusébio, a equipa decidiu enterrar mais um pouco da história e pedir a ajuda dos deuses. no entanto, agiu sozinha. quando soube do enterro, ordenaram que fosse descoberto o culpado. caso não fosse encontrado, aquele que lhe enviara a má notícia receberia o castigo. a taça uefa retornou à sepultura, e novamente se finaram as nossas aspirações. diante da opinião pública, quique confessou tudo. a proibição era de vieira, não de costa. vieira ordenou que fosse enterrada viva. alguém tentou tomar seu lugar, mas não conseguiu. escribá, noivo de quique, lembrou-nos a todos que o sábio é aquele que muda de opinião, mas não adiantou. quique não ouviu nem o coro de velhos tebanos nem os indefectíveis que foram ao pireu. o cego, adivinhador, dirigiu-se ao rei, guiado por um garoto e alertou-o sombriamente. naquela altura, já a taça uefa fora enterrada. a equipa, temerosa, dirigiu-se até sua sepultura e deparou-se com uma cena horrenda: as nossas aspirações tinham sido enforcadas. ao seu lado, todos choravam. quando apareceu quique, todos quiseram matá-lo. com ódio, todos decidiram tentar matar os corações dos Benfiquistas. a notícia da tentativa de chacina rapidamente se espalhou pelos quatro cantos do mundo. tudo parecia desgraça; odiámos e utilizámos a arma nefasta da vingança para sermos campeões e perdemos o sonho uefeiro. no final, na versão original de sófocles, diz-se "(...) tudo ao redor de mim era ruína. tudo oscilava. abateu-me um destino implacável."a equipa nasceu da tragédia, mas opusera-se ao ódio. viveu para nos fazer felizes."

quarta-feira, 26 de novembro de 2008

segunda-feira, 24 de novembro de 2008

toda a tranquilidade no pé de Ruben

vitória natural e tranquila da melhor equipa em campo. entrámos, pelo que me foi dado a ver na transmissão aos repelões na net, a todo o gás, com boas iniciativas, sobretudo do Reyes que, quando está em forma, é de facto um jogador fabuloso e que desequilibra as defesas contrárias.
depois, um golo na passada de Ruben Amorim, um caso sério neste Benfica de Quique. o passe do Capitão é magistral e a finalização de compêndio.
confesso que fiquei apreensivo com a equipa inicial. Gilles, sobretudo este, e David Luiz a defesa esquerdo, não auguravam nada de bom. mas Quique, como já aqui disse, é que sabe, e sabe bem!
em 2004-05 comemorei o campeonato aqui em Macau. este ano, se formos campeões, a comemoração será feita em Angola, junto da mais recente aquisição dos palancas jurídicos da terra...
esta semana, tenho a certeza de que o Sport Lisboa e Benfica irá trazer um resultado positivo da grécia.

segunda-feira, 17 de novembro de 2008

a rusga e a lusa

leio no record que "Clube indignado com rusga".
pois bem, quem está indignado sou eu por terem sido supostamente encontradas no Estádio da Luz, armas e droga. gosto muito do colorido das claques. no entanto, se há criminosos que se abrigam nelas - qualquer que seja o clube - então não contem comigo.

leio também que os jornalistas da lusa foram impedidos de entrar no Estádio da Luz. desde quando uma notícia sobre os ordenados dos administradores da sociedade anónima desportiva Sport Lisboa e Benfica que, até ver, ninguém desmentiu, pode servir de desculpa para impedir que os profissionais da lusa possam entrar no Estádio da Luz?

sono, muito sono

consegui mais uma vez ver em óptimas condições o jogo televisionado através da internet. pena é que os comentários fossem em alemão e, quando pus a antena 1, o relato estivesse uns segundos avançado em relação à transmissão online. por falar em antena 1, por muito respeito que os senhores que aí relatam têm de merecer, e por força daquele pormenor a que aludi, i.e., a transmissão radiofónica estar avançada, percebi, uma vez mais, que o que se ouve nem sempre é o que se vê. não raras vezes fiquei preocupado com jogadas do estrela que vieram, via transmissão televisiva, a revelar-se inofensivas. ao invés, muitas vezes o Benfica atacava com perigo e os senhores nada. sempre a cascar no meu querido clube.
quanto ao jogo, e com excepção de alguns pormenores de bom efeito durante a primeira parte, o Benfica entrou apático e com poucas ideias. não percebo por que é que o Tacuara não joga de início na Luz. não percebo por que é que se mudou o sistema. não percebo, nem tenho de perceber. o Quique é que sabe e, até ver, sabe bem!
gostei do sidnei. aquela subida à área contrária, a criar superioridade numérica é de jogador. o Luisão também me parece em boa forma, apesar de ter visto um cartão amarelo escusado logo no início da partida. Quim transmitiu segurança e pena é que não tenhamos um lateral direito com tanto de classe como de raça. pouco depois do golo, deixei-me dormir. já era tarde e como usei aquela função sleep que permite ouvir durante 59 minutos, devo ter passado para o outro lado quando este se finou. mas foi bom acordar sobressaltado, ir ao record online e ver que ganhámos. segue-se a académica fora. para ganhar! digo eu.

sexta-feira, 7 de novembro de 2008

apatia

a apatia com que entrámos na segunda parte, da qual a jogada que dá o canto do primeiro golo é exemplar, demonstra que não temos estofo para uma equipa muito organizada e experiente que fez o seu jogo e foi melhor ao cabo de 90 minutos.
ainda assim, na primeira parte estivemos melhor. lembro-me daquela jogada do nosso Capitão que, fosse ele um matador, e estava lá dentro. preferiu passar. depois o Suazo. grande remate que foi defendido, pareceu-me, pelo guardião turco. fica também na retina aquele pontapé de moinho que é bem defendido pelo de sanctis. foi aí que acabou o fôlego ofensivo.
na segunda parte, apáticos, sem ideias e bem dominados pelos turcos.
uma nota para o miúdo sidnei: tem classe, é verdade, mas deixa o turco sozinho no primeiro golo e no segundo, a par de toda a defesa, pareceu demasiado, lá está, apático.
agora, resta pontuar na grécia e ganhar aos ucranianos na luz, poucos dias antes do natal.
a conferência de imprensa de Quique deixa-me descansado. não arranjou desculpas: azar, falta de sorte, árbitro. os outros foram melhor.

a 1:30 do desafio

tenho fé.

quarta-feira, 5 de novembro de 2008

futebolices

a champions league, competição prestigiada no que ao futebol diz respeito, por vezes, surpreende. como ontem. uma equipa que veste como o celtic de glasgow, mas que não é o celtic, o de glasgow, apurou-se, surpreendentemente, digo eu, dada a qualidade superior dos adversários do grupo, pela primeira vez na sua história para os oitavos-de-final da competição. parabéns a essa equipa e ao seu treinador.
ainda ontem, quando às 5:45 balbuciava, ou tentava balbuciar umas palavras, com o sono a puxar-me cada vez mais para o vale dos lençóis, um senhor chamado hansson, sueco, premiou o "piscinero profissional", como é apelidado no jornal a marca de hoje o capitão do liverpool, assinalando um penalty contra o atlético, quando o que vi claramente visto com estes olhos que a terra há-de comer foi uma falta clara do 8.
o árbitro assistente, que induziu em erro o seu chefe de equipa, acabou por pedir desculpa a pernia, o pobre defesa esquerdo da equipa do simão sabrosa que foi abalroado pelo referido número 8 dos que equipam de encarnado.
hoje, um senhor, ex-árbitro, conhecido adepto de um clube que equipa de azul, convidado para a festa de inauguração do estádio dessa agremiação, ladrão profissional, corrupto, grande apreciador de fruta madura, responsável por roubos de igreja parecidos com o que vi ontem em anfield, invariavelmente a favor dos que equipa(va)m de azul, foi condenado a 20 meses de prisão, com pena suspensa... claro que por um jogo em que não estava envolvida a equipa de azul.

terça-feira, 4 de novembro de 2008

segunda-feira, 3 de novembro de 2008

verdades que querem que sejam mentiras

aqui está um documento que deveria ser lido por todos aqueles que tentam denegrir a imagem do Sport Lisboa e Benfica.

é nestes jogos que se é campeão

a bruxa de vilar de perdizes enviou uma mensagem ao Sr. Fernando Correia a dizer que o Benfica ganharia 2-1.
a bruxa acertou e o Fernando Correia, apesar da sua conhecida costela do sportém, fez-me feliz.
acabado o jogo há pouco, e ainda com o coração Benfiquista a palpitar de uma noite de sofrimento num quarto de hotel de hong kong, liguei para o meu grande Amigo Becas e disse-lhe o mesmo que o Quique disse pouco depois: "é nestes jogos que se vê o estofo de campeão."
mesmo com a vegonhosa arbitragem de um tal de xistra (eu sei que o meu Amigo Becas não concorda e ao ler esta linhas já está a chamar-me "fac") conseguimos levar de vencida a boa equipa do guimarães.
cada vez gosto mais do Yebda.
e cada vez acredito mais na possibilidade de ganharmos qualquer coisa importante este ano.
venham os turcos!

sexta-feira, 31 de outubro de 2008

5000

há dúvidas sobre quantos golos faltam para a bonita marca de 5,000.
pois eu não tenho dúvidas: já a atingimos. um a menos ou dois a menos (como parece indicar o maisfutebol) nas estatísticas oficiais não me demovem dessa convicção. basta lembrar o golo do kandaurov nas antas e o do petit na luz, para que não restem dúvidas de que já atingimos os 5000...

quarta-feira, 29 de outubro de 2008

DIEGO ARMANDO MARADONA

nenhum jogador estranho ao Benfica mereceu uma referência neste espaço total e gloriosamente Benfiquista, excepto um: o Deus do futebol, Diego Armando Maradona que, com esta, passa a ter duas postas.
El Pibe, o melhor jogador de todos os tempos merece tudo. tenho dúvidas se não irei apoiar a argentina, treinada por ele, numa final de um campeonato do Mundo, mesmo que essa final (improvável, mas possível) seja contra a nossa selecção.
já disse num espaço em que também participo que me arrepio cada vez que vejo e ouço o vídeo infra.

e que tenho por Ele, Diego Armando, um apreço enorme ao ponto de o toque do meu telemóvel ser, neste momento, o relato que podem ouvir no vídeo.
viva DIEGO!



sexta-feira, 24 de outubro de 2008

ich bin kein berliner

georg wilhelm friedrich hegel nasceu em estugarda e morreu em berlim.
o Benfica nasceu numa farmácia de Lisboa e esteve quase a "morrer" em berlim.
vi o jogo. aos repelões por causa de um tal de buffering que atrasa as transmissões online. é certo que com comentários em língua alemã de que, excepção feita a algumas palavras que balbucio mal, como o nome daquele árbitro do jogo entre a vechia signora e o real madrid realizado esta semana, dizer que não percebo nada, nickles, patavina... está bem longe da realidade.
como dava para ver, pus de lado a antena 1. erro! diria: erro crasso que fez com que não percebesse a razão para a exclusão do nosso melhor jogador esta época: Yebda.
ora, e apesar de tudo o que tive oportunidade de ver, o grande destaque vai para o substituto do franco-argelino: Bynia ou Gilles, como preferirem, não viu nenhum cartão amarelo durante 95 minutos. isto sim é histórico! à cautela, não fosse eu ter visto mal, por causa do buffering, já confirmei em todos os sítios da especialidade: www.abola.pt, www.record.pt, www.ojogo.pt (este já tem na minuta da ficha do jogo quando o camaronês joga, acção disciplinar: amarelo para Bynia aos ... min) e www.maisfutebol.iol.pt e nada. o homem passou quase 100 minutos sem levar um cartãozito. notável! nem um de boas festas? não. também aqui já há dedo de Quique.
em relação ao prélio, entrámos, pareceu-me, bem. a pressionar o adversário e personalizados. surpreendemos os berlinenses (boooolii berlimm era um pregão que me fazia sonhar na praia. bem, havia também o bolaaaachaaaa ameeericana, mas o adu está a "monacar") que só depois do primeiro impacto (estive para escrever "impacte", mas neste caso usa-se o "o" no fim na medida em que, literalmente, batemos contra uma parede germânica) conseguiram entrar no jogo.
a primeira parte teve, ainda assim, mais pendor ofensivo (esta coisa de ter comentado um jogo a meio da semana dá chavão na certa) por parte do senhores com camisola à juventude de Évora. gosto mais do meu Lusitano (um dia explico).
ainda durante a primeira parte dei por mim a perguntar se o Cardozo tinha sido o excluído para a entrada do Bynia e garanto-vos que não foi por causa da má imagem e do malfadado buffering. é que, ao intervalo, o Quique conseguiu confundir-me ainda mais e tirou-o para dar lugar ao Suazo, pelo que dúvidas sobre se o Tacuara esteve berlim continuam a assolar-me.
voltámos a entrar personalizados no segundo meio tempo e num contra-ataque rápido abrimos o activo (gosto muito desta expressão) com Angelito finalmente a conseguir facturar. esperamos que seja para continuar.
comecei, então, a ouvir os nossos adeptos a "canticar". para mim, não há nada de mais bonito e excitante do que uma vitória do Glorioso, mas os cânticos dos adeptos Benfiquistas num qualquer estádio da europa é algo que emociona. tem um toque de divino.
a vencer, estivemos por cima alguns (poucos) minutos até que Quique resolveu travestir-se, uma vez mais - já o tinha feito no estádio do mar - de engenheiro e toca de tirar o Katsouranis e pôr o Carlos Martins. nada contra a entrada do ex-spórtem, mas a saída do Katso não cabe na cabeça de ninguém. depois entra o Urreta para o lugar do Reyes. por essa altura adivinhava-se o golo do juventude de Berlim. razão: um tal de pantelic entrara e já espalhava miséria. momentos depois, o sérvio gadelhudo igualava a contenda (ehehehe! o sorriso é para a palavra e não para o golo do empate) com a ajuda, pareceu-me, do Maxi. até aos 90 ainda tivemos algumas oportunidades para, finalmente, ganhar na terra do hegel. no entanto, o treinador do hertha terá pensado para com os seus botões que o empate já não era mau e, felizmente, acabámos por ganhar um pontinho.
deixo, perante este empate, 2 sugestões para a estrutura Benfiquista:
1. mandem fazer mantas com o emblema do Glorioso. será um sucesso de vendas! é que estou absolutamente convencido de que o LFV trocou um empate por uma manta do hertha.
2. Quique, essa história de teres andado a ver dvds das épocas anteriores fez-te mal. eu sei que queres valorizar o teu trabalho, i.e., mostras o teu método durante a primeira parte e depois dizes, cínico: vêem como eu sou bom treinador? agora tomem lá 45 minutos à fernando santos. perante isto, pede sff ao departamento de audiovisuais do Sport Lisboa e Benfica - se quiseres eu posso minutar (nada de más leituras) o requerimento - vídeos dos anos 80. e dos 70. e dos 60. bem, também podes pedir alguns da década de 50 e do início da década de 90...
deixo-vos com o golo do "tia Maria" (o do hertha não ponho. porquê? ich bin kein berliner!)

quinta-feira, 23 de outubro de 2008

quicadas

tenho pelo Quique um grande apreço. gosto da forma de estar. gostei, claro, que tivessemos ganho ao sportém e ao nápoles. mas esta história do "um empate já não é mau" deixa-me apreensivo. é que normalmente perdemos sempre que jogamos para empatar.

quarta-feira, 22 de outubro de 2008

o MAIOR

o MAIOR completaria hoje 60 anos.
o exemplo trágico do Maior podia servir de aviso a alguns dos craques que até trajam de encarnado e jogam em inglaterra.
o MAIOR! é pena que não tenha tido juízo.
a história mais conhecida do MAIOR no benfica-fc.
e a letra da música a ele dedicada:

"Música: Vitorino
Letra: José Jorge Letria

Eras o rapaz do brinco
Eras o herói da tarde
Driblador cheio de afinco,
Médio seguro ou trinco
Da alegria dessa idade

Eras a festa do jogo,
Com o resultado incerto,
Entre a água e o fogo,
Adeus Vítor até logo
Que a vitória andou perto.

Eras o brinco perdido
Na parcela do relvado
Onde em sonhos tidas lido
As promessas sem sentido
De um contrato renovado.

Eras o ponta de lança
Da infância sem ternura,
O campeão que foi esperança
E essa eterna criança
Sempre às portas da loucura

Foste a sombra do que eras,
A carreira interrompida,
Gazela no meio das feras,
A ruína das quimeras,
Destroço de um fim de vida.

Foste esse brinco perdido
Em grande tarde de glória
E podias ter vencido,
Mesmo vergado e rendido
Pelas traições da memória.

Foste o brinca jóia rara
Desse tempo de conquista;
A loucura sai tão cara
E se a grandeza é tão rara
Que viva o Vítor Baptista."

quarta-feira, 8 de outubro de 2008

descer à terra

depois de uma semana nas nuvens, o fantasma do engenheiro parece ter metido medo aos jogadores do Benfica e descemos à terra.
gostei de ouvir o Quique no final da partida e apesar de não gostar do josé mota, sobretudo quando o lance de que falou foi bem assinalado pelo árbitro, dou-lhe razão: a haver um vencedor, só podia ser o clube de matosinhos.
finalmente, fica a nota para a vista grossa que o olegário fez à mão, punho, cotovelo, braço do jogador do leixões antes do golo do Benfica. ai, se não tem sido golo... é realmente incrível como um árbitro, dito internacional, nem que seja pelo facto de ir a badajoz aos caramelos, pode não assinalar penalty na posição privilegiada em que se encontrava.
apesar de gostar muito de futebol e, sobretudo, do Benfica é bom que o campeonato tenha esta pausa para fazer face à malapata das lesões musculares.
quanto ao sorteio da uefa, difícil mas eu acredito no Quique.

segunda-feira, 6 de outubro de 2008

topo

0-2 ou 0-3 (prefiro, este, nem que seja para que o pasquim "o jogo" não comece a fazer contas de cabeça) são resultados suficientes para que às seis da manhã de amanhã, hora de Macau, o Benfica esteja no topo da classificação da liga sagres.
com transmissão na RTPi, e caso se confirme o 0-3, passarei(mos) da melhor forma o feriado de amanhã, aqui no delta do rio das pérolas...

domingo, 5 de outubro de 2008

no país do sorrisos e a minha tia R.

escrevo-vos a bordo de um airbus da airasia que descolou há pouco de pukhet rumo a bangkok. postarei quando chegar ao hotel. a tailândia é o país dos sorrisos e eu não consigo tirá-los dos lábios desde há quase duas semanas.
finalmente tive uma pausa no programa da viagem anual do escritório que me permite escrever algumas palavras sobre uma das melhores semanas da minha vida, pelo menos nos últimos tempos.
nem o facto de ter sido obrigado a ouvir a rádio renascença online durante o primeiro tempo do desafio e, em consequência, o jorge coroado – estou mesmo feliz por ter confirmado que já não zurra na antena 1 - e o bernardino barros – este estava a dizer tão mal do Benfica quando foi o golo do Reyes que deve ter engolido as palavras - me tira a grande felicidade de ser Benfiquista.
tive também o prazer de ver via net a segunda parte do meu querido clube (não no site do Benfica ou do sapo, mas num canal africano de desporto – fica o reparo para a direcção do canal e responsáveis: também há benfiquistas na ásia que sofrem tanto ou mais do que aqueles que estão, por exemplo, na australia!).
sobre o jogo está tudo dito e escrito. volto a aconselhar a leitura do obrigado sá pinto. mas, como confidenciei via sms no final da partida, há muito que não via o nosso Benfica jogar da forma que, e apesar de desfalcado, se apresentou frente aos napolitanos. estamos com uma dinâmica de vitória que esperamos se mantenha até ao final da época.
deixo apenas um apontamento sobre o que se passou durante a partida que, parece-me, ilustra bem a forma como o Benfica congrega a paixão de viver, de vencer, de ser do maior clube do Mundo e como a família Benfiquista é, de facto, extraordinária.
a minha tia R. é das poucas pessoas da família mais chegada que teve um fraquinho pelo clube que alinha com as camisolas iguais às barracas da praia de são Pedro de Moel. mas teve a sorte de ter um marido Benfiquista, 2 filhos Benfiquistas, apesar da tentativa ténue da filha em ser desse clube que equipa de verde, cunhados Benfiquistas, 4 sobrinhos Benfiquistas. enfim, teve a sorte de ser acolhida numa família Benfiquista. mas a minha tia R. foi do sportém até ao dia em que foi ao estádio de Alvalade e foi insultada com impropérios de índole vária por parte dos pseudo-queques que por lá gravitam. a partir daí, diz que deixou de ser sportinguista.
eu percebo bem porquê e talvez não tenha sido ou seja só pelos insultos. a minha tia tem pouco mais de meio século de vida – apesar do espírito de gaiata - e ainda quer ser feliz e sentir a felicidade de ser Benfiquista. não que tenha mudado para o Benfica... mas gosta tanto da nossa família, eu incluído - e eu dela, diga-se - que me enviou – com medo que, por estar na tailândia, não estivesse a seguir – uma sms a dizer que o Benfica tinha marcado o 1-0. quando vi a sms,, quase no final da partida, e depois do golo do nosso Capitão, respondi, agora já são 2-0...
desta vez o meu cativo foi ocupado pelo filho da minha tia R., i.e., o meu primo!
cativos à parte, o som que se ouve na rádio dos adeptos a gritar pelo Benfica é quase tão arrepiante como foi, de certeza, ter estado na Catedral.
5 notas finais:
1. desculpa Katsouranis;
2. Reyes, que classe;
3. obrigado Capitão Nuno Gomes;
4. Flores já dão frutos;
5. se isto continua assim, vou ter mesmo de deixar a emigração!

domingo, 28 de setembro de 2008

Reyes mago

começo por justificar o título desta posta.
como alguns dos que aqui vêm já se devem ter apercebido (vide foto infra) é o mesmo do jornal "a bola". pois bem, nada mais errado. o título desta posta é igual à sms que enviei a 3 amigos meus esta madrugada logo após o golo do Reyes.


por isso, denuncio o plágio às entidades competentes - incluindo a asae - que apenas se terá dado por mor das escutas ou da intercepção de sms ilegais de que fui alvo por parte da PIRTB (polícia internacional de roubo de títulos para a "a bola").
no entanto, se o jornal "a bola" o entender conveniente e para que este caso não desencadei a iii guerra mundial, podemos chegar rapidamente a acordo se me contratarem para capista.
feita a denúncia, vamos à partida.
gostei de ouvir, pela primeira vez, o tal do joaquim rita a dizer bem do Benfica.
isso quer dizer que jogámos de forma excepcional.
a primeira parte deixou-me nervoso e, mais uma vez, desgostoso com o Nuno Gomes. depois de ver o resumo alargado (gosto da expressão "resumo alargado", que me leva aos anos 80 quando o mestre Gabriel, poucos minutos depois do fim do jogo, normalmente na Catedral ou nos jogos a sul, em plena tarde de desporto na rtp2, quando os jogos eram à tarde, me dava uma lição de futebol e de bom português) o falhanço do Nosso Capitão fez lembrar-me aqueloutro, e permita-me a expressão, caro Gabriel, que usou no jogo dos 6-3, "quando aquando" do Benfica espanol de barcelona para a taça uefa.
aí, explodi como devem ter explodido todos os benfiquistas. sobretudo aquele que se senta no meu cativo quando não vou ou não vai ninguém que conheça.
já estavam os senhores da antena 1 a dizer bem do Benfica (gosto mais da antena 1 sem o jorge coroado) quando tive uma explosão de alegria. ouçam o simultâneo relato de rádio/imagem da posta anterior e digam se não é divino ouvir um golo do Benfica.
ainda mal refeito do golo e dos berros que mandei - aproveito para informar que tenho uma nova estratégia para que os vizinhos não venham cá a casa ou chamem a polícia a meio da noite, que passa por gritar com uma toalha na boca - e já está uma segunda batata lá dentro. agora Sidnei. uma fruta (das boas) e pêras que só parou no fundo da rede da equipa do sportém.
depois, e apesar de estar convicto de que o Benfica ganharia, já vi equipas como o paços de ferreira quase a empatarem no final da partida, sofri. e quando o Carlos Martins que já deve andar na noite - desde que continue a fazer centros milimétricos e a festejar como no segundo golo até pode andar nos after hours até às 4 da tarde - rebentou, fiquei apreensivo.
foram 5 minutos de sofrimento escusado. é que esta coisa da pdi pode não acabar bem.
hoje, sinto-me nas nuvens e, claro, confiante de que levaremos de vencida a ex-equipa do Diego Armando. por falar nisso, e por forma a motivar o Aimar, decisivo nesta partida, deixo-vos com uma réplica da camisola assinada por ele que, finalmente, adquiri.
quer dizer, no ano passado, arrematei, num leilão de caridade, uma igual e acabei por ceder a minha posição. agora, está aqui em frente ao sofá e juro que daqui não sai nem que a troquem por uma, de época, assinada pelo Eusébio! é que já tenho duas do Rei e para ter a assinatura dele é só ir onde, muitos e muitos benfiquistas, dançaram o samba após o jogo de ontem!



toma lá e vai buscar

com os créditos do simãofcp, aqui ficam as duas batatas.
são 6:00 da manhã e estou feliz.



sábado, 27 de setembro de 2008

derby dos derbies

na próxima madrugada, palpita coração.
espero ficar feliz.

quarta-feira, 24 de setembro de 2008

vão para o diabo que vos carregue

o senhor da imagem é o "Diabo".
o senhor da imagem está a contas com a justiça.
o senhor da imagem teve um comportamento reprovável mas que, na minha óptica, não deve ser punido da forma de que se fala. porquê?
1. porque o senhor da imagem apenas teve um momento mau;
2. porque o senhor da imagem é do Benfica;
3. porque o senhor da imagem não pode ser o bode expiatório de um sistema viciado e de dirigentes incompetentes;
4. porque o senhor da imagem é do Benfica;
5. porque o senhor da imagem já teve a sua conta de exposição mediática e terá aprendido com o erro;
6. porque o senhor da imagem parece ser bom rapaz e é do Benfica;
7. porque o senhor da imagem está farto da podridão do futebol português;
8. porque o senhor da imagem já foi demasiado castigado durante vários anos: ver o martin pringle, o zoro, o uribe e outros que tais a jogar no glorioso é um castigo pior do que pagar uma multa para se safar da prisão;
9. porque o senhor da imagem é do Benfica;
10. porque o senhor da imagem só quer ver a bola e não é nenhum criminoso que se esconde atrás de uma qualquer claque.
ao mp e aos órgãos de polícia criminal: preocupem-se com os (verdadeiros) crimes que vão sendo cometidos e deixem o Diabo em paz!

terça-feira, 23 de setembro de 2008

obrigado, OSP

a navegar pela rede, encontrei este blogue.
excelente: obrigado sá pinto!
apesar de já ter visto, encontrei também este vídeo. o que escrevem sobre o nápoles Benfica, é delicioso.
este vídeo, que já tinha visto, é fantástico: obrigado, OSP!


Campeonato Nacional de Futebol.

O SLB fez o que lhe competia e, com maior ou menor dificuldade, venceu o Paços de Ferreira por 4-3. Está agora com 5 pontos, os mesmos do FCP. O tempo, estou certo, vai encarregar-se de os colocar na frente da liga, onde vão lutar pelo título. Confio tanto no Quique, como confio no Jesualdo, por isso, estou convencido que o SLB vai ser campeão.

O campeonato começou como começam todos. Os grandes, por vezes, a tropeçar ou ainda a afinar a equipa; os pequenos, a aproveitar para fazer uns brilharetes e para sentir, ainda que efemeramente, o prazer de estar no topo do campeonato. Porém, a liga é uma prova de regularidade, longa e desgastante. Os clubes mais modestos não terão, por conseguinte, estrutura e capacidade para se manterem na frente por muito mais tempo.

No entanto, há já algumas certezas. Guimarães e Belenenses parecem mais fracos que o ano passado e o Braga, até ver, está muito aquém do que se esperava dele e de Jorge Jesus.

Na frente, nota máxima para Nacional e Sporting. O Nacional surpreendeu ontem, vencendo, sem apelo nem agravo, o Guimarães. O Sporting é uma lufada de ar fesco. É bom ver este histórico e simpático clube andar lá por cima, ainda que seja por poucas jornadas, lembrando os bons velhos anos 50, em que a sua equipa era temida e respeitada. Faço votos que o ano lhe corra bem e que consiga o apuramento para a taça UEFA, que bem precisamos de um Sporting a fazer uma gracinha lá fora, para bem dos pontos uefeiros de que Portugal precisa.

Para a semana, não deverá haver grandes novidades, com os dois crónicos candidatos ao título a receber equipas acessíveis em casa. Ficarão com mais 3 pontos e vão continuar irmanados, lado a lado, como convém a um campeonato que se pretende competitivo. Resta saber se o Nacional vai vencer o seu jogo com o Estrela e continuar, o malandro!, com as suas gracinhas, isolado lá na frente da corrida.

Nota mais para a Académica de Domingos Paciência. Espero que tenha um campeonato tranquilo e que consiga garantir, rapidamente, a manutenção na primeira linha do futebol português.

Está giro, o campeonato!

classe, raça, ingenuidade, ricardices e sofrimento

4 da manhã em ponto, o transistor começou a dar antena 1 num volume considerável. para que não voltasse a deixar-me dormir, programei também o blackberry. estava acordado. estranhamente a ouvir o relato. pensem no que é acordar às 4 da manhã depois de termos ido para a cama às 11:30 da noite. claro que demora um bocado a ganhar as faculdades de acordado. foi o que aconteceu. quando dei por mim a pensar que estava a ouvir o relato e que não liguei o televisor, quase que me insultei. finalmente, isto é, 3 minutos depois do jogo começar, liguei a tdm em cadeia com a rtpi. não por nenhum assomo patriótico, mas simplesmente por causa da diferença de alguns segundos na transmissão entre uma e a outra. na tdm o jogo dá uns segundos antes. isto é, quando é golo na tdm a bola ainda está na linha lateral na rtpi.
por falar em golo, o primeiro foi um contra-ataque de grande classe, com o Reyes finalmente a fazer qualquer coisa a que não será alheio o facto de também finalmente o Quique o ter posto no lugar onde me lembrava de o ver no arsenal. na ponta esquerda. cruzamento milimétrico e o nosso capitão, Nuno Gomes, de primeira, remata com classe para o fundo da baliza. pouco mais de uma mão cheia de minutos tinham passado e o Benfica vencia, como lhe competia, num campo (para mim estádio é outra coisa) sempre difícil.
estranhamente, há um lançamento de linha lateral ou um canto, Reyes lembrou-se de borrar a pintura, alivia mal, há um jogador com nome de marca de mesinha de cabeceira que remata, a bola bate em Sidnei e anicha-se na rede de Quim.
empate alcançado e, a partir daí, o Benfica só conseguiu descansar quando o Maxi, na sequência de uma jogada bem gizada por Ruben Amorim, que centrou para o nosso capitão, que bem desmarcado remata de cabeça e, depois de uma defesa incompleta do guardião do paços, na raça remata para o 1-2.
pensei que o Benfica iria descansar os adeptos e arrancar para uma exibição convincente. mais convencido fiquei quando o Ruben Amorim centra e a bola é cortada com a mão por um defesa do paços, com um tal de paixão a apontar para a marca de grande penalidade. Tacuara, como já disse aqui, especialista nestes lances, remata à Batistuta, fazendo o 1-3.
chega o intervalo e o Benfica, estranhamente, e ao contrário do que o Quique tentou por diversas vezes evitar com as indicações que dava para dentro de campo, recua demasiado numa falsa sensação de controlo de jogo que normalmente acaba em golo do adversário. foi o que aconteceu. quer dizer, eu continuo a achar que golos daqueles não deviam ser atribuídos aos avançados, mas sim ao Quim. na ficha do jogo deveria figurar: 0-1, Nuno Gomes, 1-1, nome de marca de mesinha de cabeceira, 1-2, Maxi, 1-3, Óscar Cardozo, 2-3, Quim (p.b.)...
desde o jogo com a Dinamarca que o Quim, normalmente seguro e calmo, anda a fazer tudo para ser substiuído. será que o facto de o Moretto ter voltado ao plantel tem a ver com isto? gostei do que disse Quique no final da partida sobre o golo na própria do Quim: "uma vez em cada cem". mas o problema é que para já, e contando com a selecção, foi mais do que uma vez em cada jogo.
não sei se fui só eu que reparei mas o Nuno Gomes quando foi substituído parece dizer ao companheiro de banco: "viste aquele falhanço do Quim? dasse!".
depois lá tivemos um momento de inspiração do irmão do Nuno Ribeiro, vulgo Maniche. ganha a bola a um contrário e remata fulminante com a bola a fazer aquele barulho lindo que é tocar no poste e, ao contrário do que já vi muitas vezes, a ir beijar a rede.
tudo certo, Benfica de novo com dois golos de vantagem. mas começava aí o sofrimento. depois de estar mais o menos descansado, tive de me levantar da cama e ir para a sala ver o resto da bola. pensei em várias coisas. uma delas foi que um ataque de ansiedade àquela hora, 5:40 da manhã, poderia pôr em causa as 3 horas de sono que ainda me faltavam e provocar danos irreparáveis nas batidas do órgão a que chamam coração. pior fiquei quando em mais um lance de bola parada, a defesa fica a olhar, o Quim com medo de falhar e eles reduzem para 3-4. já não estava em mim quando o paixão deu 5 minutos de tempo de compensação. aliás, é estranho como é que o treinador do paços depois do golo diz que faltam 10 minutos quando faltavam apenas 5. será que o árbitro das placas lhe disse que ía dar 5 minutos de desconto? ainda conseguimos fazer duas faltas que atendendo ao rumo dos acontecimentos podiam ter protagonizado a reviravolta no marcador. felizmente não. mas infelizmente só me consegui deixar dormir às 6:30 da manhã, quando acabou o "relatório e contas" na antena 1 sobre a visita do Benfica a Paços de Ferreira.
merecemos sem dúvida ganhar. fomos eficazes na primeira parte e o paços, tirando as bolas paradas, pouco ou nada fez até para marcar 2 golos ao Benfica (sim, um dos golos foi do Quim na "p.b." ou "o.g." em inglês).
penso que a chave do jogo foi a entrada do Ruben Amorim. foi com esse sistema que andámos durante toda a pré-época e o Amorim fez uma meia assistência e ainda centrou para a mão do pacense.
agora, ganhos que estão os primeiros 3 pontos, resta ter calma e pensar que para a semana estaremos com 8 pontos.

segunda-feira, 22 de setembro de 2008

ligas

é verdade que, como diz o nosso treinador, "não se ganham ligas em setembro". mas, talvez seja bom que o nosso treinador perceba que "perdem-se ligas em setembro". se, por acaso ficarmos a 7 pontos do sportém com um derby na próxima semana, vai ser muito complicado recuperar.
resta ganhar, na madrugada de amanhã, com transmissão na rtpi.

sábado, 20 de setembro de 2008

BENFICA, O MELHOR CLUBE DO MUNDO

grande texto do Bruno Carvalho, Benfiquista e bloguista do Novo Benfica



“O Benfica é o maior do mundo!!!”
Já todos ouvimos isto várias vezes. Muitos o dizem, mas será que o sentem mesmo? Será que estão mesmo convictos do que dizem?
Então vamos lá ver se o Benfica é ou não o maior clube do mundo.
Quando se fala de maior clube do mundo, afinal, fala-se de quê? De títulos ganhos? Do número de sócios ou adeptos? De capacidade financeira?
Vamos então fazer uma análise áqueles que são comummente aceites como sendo os clubes mais importantes do Mundo.
Comecemos pelo Real Madrid. O Real Madrid é o clube com mais títulos europeus, tendo sido por 9 vezes Campeão Europeu. O Real Madrid tem igualmente uma enorme capacidade financeira, tendo até alegadamente feito uma oferta de 100 milhões de euros para comprar o passe de Cristiano Ronaldo.
Mas isso faz do Real Madrid o maior clube do mundo?
Há uns anos atrás, numa conversa com Camacho, em Madrid, ele disse-me uma coisa que não me saiu da cabeça. Ele disse-me que o Real Madrid era muito grande e muito importante, mas que fora da cidade de Madrid o Real não era número 1 em lado nenhum. Camacho disse-me mais: o Real Madrid é respeitado e temido pelo mundo fora, mas não é amado.
Com o Manchester United ou Liverpool passa-se algo de semelhante com a diferença de terem ganho menos que o Real Madrid. Onde estão os verdadeiros adeptos do Manchester ou do Liverpool, a não ser nas respectivas cidades? Haverá algum sítio do mundo em que esses clubes são o emblema mais importante para além das suas cidades? Mesmo em Inglaterra, será que em Newcastle, Birmingham ou Leeds as pessoas são maciçamente do Manchester ou Liverpool? Tenho a certeza que não.
E o Barcelona? Se fossemos olhar para os títulos o Barcelona está muito longe do Real Madrid e em termos sociais ainda vale muito menos que o Real. O Barcelona é um clube parecido com o Porto, assim como o Atlético de Madrid é parecido com o Sporting.
De facto, o Barcelona representa um sentimento regionalista e com isso domina na Catalunha e vive por oposição ao Real Madrid. O Porto tem um papel semelhante em Portugal, tem no Benfica a sua obsessão, mas ao contrário do Barcelona não consegue sequer dominar o Norte de Portugal nem ter a capacidade financeira do clube catalão. Quem quiser confirmar o que digo que vá a Braga, a Famalicão, Viana do Castelo, Mirandela, Bragança ou Vila Real e verifique qual é o clube com mais adeptos. É, de longe, o Benfica.
Mas ter mais adeptos será um critério suficiente para se ser o maior clube do mundo? Manuel José, treinador do Al-Ahly, dizia há uns tempos que este clube do Cairo era enorme porque tinha cerca de 40 milhões de adeptos no Egipto. Mas fará isso do Al-Ahly um grande clube? Seguramente que não. Se fizesse, rapidamente qualquer clube chinês ou indiano poderia vir a dizer que é o maior clube do mundo.
Outros clubes como o Milão, Inter, Juventus, Bayern de Munique, Boca Juniors, Flamengo ou São Paulo têm o mesmo problema. São muito importantes nas suas regiões ou nos seus países, já ganharam muita coisa, alguns têm muito dinheiro, mas fora da sua área de influência directa não são nada. São muito respeitados. São adversários temíveis. Mas têm aquela coisa especial que faz deles o maior clube do mundo? A resposta é não.
Então, afinal, qual é o maior do clube do mundo?
É o Benfica. E porquê?
O Benfica é o maior clube do mundo não por causa de qualquer recorde do Guinness Book como alguns ignorantes nos querem fazer crer. Só pode dizer isso quem não percebe nada do que é ser benfiquista.
O Benfica é o maior clube do mundo porque num desenvolvimento histórico singular e irrepetível ganhou o respeito mas, acima de tudo, conquistou o amor de milhões em todo o mundo.
O Benfica conseguiu encarnar a diáspora portuguesa como nenhum outro clube do mundo o conseguiu fazer relativamente à história do seu próprio país.
Assim, o Benfica é o maior clube de Portugal, mas é também o clube nº 1 em Angola, Moçambique, Timor, Cabo Verde, Guiné e S. Tomé. Mas não só. Qual é o maior clube de Paris? Será o PSG que foi fundado em 1970? Não. É o Benfica. O Benfica que também é o maior clube na Suíça, no Luxemburgo e que tem uma enorme força na Alemanha, em Nova Iorque, em Toronto, na África do Sul ou em qualquer lado onde esteja um português.
O Benfica personifica a nostalgia e a alma de um povo, mesmo daqueles que não são simpatizantes do clube. E isso sente-se especialmente quando se sai de Portugal. Não há mais nenhum clube do mundo assim.
E o Benfica teve e tem Eusébio. Bem sei que o Real Madrid teve Alfredo di Stefano e o Manchester United Sir Bobby Charton. Mas Eusébio era outra coisa. Eusébio não era argentino nem inglês. Eusébio era africano, de Moçambique, o que representava a vocação universalista do Benfica. Eusébio era um rapaz simples e humilde com um talento incomparável. Eusébio carregou aos ombros todo um país no mundial de 1966. E chorou. As lágrimas de Eusébio deram a volta ao mundo e lavaram a alma de todos os portugueses que com ele sofreram.
E há mais. O Benfica é do povo. É popular no sentido literal do termo. É feito por gente simples que ama o Benfica mais do que tudo na vida e é capaz de sacrifícios espantosos pelo clube do seu coração.
Arrepia-me ver os novos jogadores estrangeiros do Benfica, quando chegam ao aeroporto da Portela, começarem logo a dizer que o Benfica é igual ao Real Madrid como se isso fosse algum elogio. A culpa não é deles. É claro que são instruídos por alguém dentro do Benfica para dizerem isso. Alguém que pensa que isso engrandece o Benfica. Nada mais patético. Faz-me lembrar quando os artistas brasileiros chegavam a Portugal e começavam logo a dizer que éramos um país lindo, maravilhoso e irmão. Soava a falso, como soam a falso as declarações dos jogadores recém chegados. Isso só acontece porque as pessoas que estão no Benfica não percebem verdadeiramente o que têm nas mãos. Estão lá, mas não sabem o que é o Benfica. Se vissem o Benfica como ele é não ficavam todos felizes com a comparação com o Real Madrid, mas proibiam-na.
Para se dirigir um clube como o Benfica é preciso ter-se categoria, algo que há muito anda arredado da Luz. Assim como para se ser jogador do Benfica é preciso ter-se algo de especial. Não é, de facto, coisa que esteja ao alcance de qualquer um.
Por muito que outros clubes possam ganhar nunca serão o Benfica. Não há nenhum clube do mundo que tenha a herança do Benfica. É preciso que o futuro do Benfica esteja à altura do seu passado. E para isso são precisas vitórias. Vitórias com honra, com glória, com humildade e com dignidade.
A minha última palavra vai para as Casas do Benfica espalhadas por Portugal e por esse mundo fora. Elas fazem um trabalho notável e desempenham um papel fundamental na manutenção da mística do Benfica. Mística essa de que todos falam, mas muitos não sabem o que quer dizer.
O Benfica é, de facto, um caso único no mundo do futebol.
O Benfica é, sem favor e sem exagero, o maior clube do mundo!
Bruno Carvalho
PS 1: Este postou deixou-me feliz e esgotado porque não foi escrito com a cabeça nem com os dedos, mas com a alma. Dedico-o a todos os benfiquistas, aos frequentadores deste blog e ao meu avô, que foi a razão de eu ser benfiquista.
PS 2: Queria deixar aqui saudações muito especiais a todas as Casas do Benfica, as que estão em Portugal e as que estão por esse mundo fora. Aproveito para retribuir o abraço que a Casa do Benfica do Porto me enviou. Não preciso explicar que a vocês calhou o papel mais difícil, pois estão no coração da cidade do principal adversário. Mas deixo-vos aqui uma palavra de louvor e digo-vos mais: a nossa hora chegará!"

in novo Benfica

sexta-feira, 19 de setembro de 2008

estou farto de um tal de joaquim rita

quem não tem a possibilidade de ver a maior parte dos jogos do seu clube, tem de contentar-se com o relato na antena 1 ou numa outra rádio que transmita na internet.
quando o jogo é às 3 da manhã, a solução passa quase sempre pela antena 1, em cadeia com a rádio macau. isto porque vai-se para a cama às 11 da noite, mete-se o despertador para as 2:55 e em vez de me levantar da cama para ir buscar o portátil, basta ficar a ouvir o relato no transistor que tenho na mesinha de cabeceira.
assim aconteceu esta madrugada.
e, infelizmente, ficamos a pensar que o jogo que os senhores relatam e, sobretudo, comentam não é o mesmo que está a passar. tantas e tantas vezes no velhinho estádio da luz levava comigo um pequeno transistor para ouvir os resultados que estavam nos outros campos e verificava que o que relatavam não era o mesmo que estava a ver.
ontem, quando num ápice o nápoles faz 2-1, começou o chorrilho de críticas à equipa do Benfica.
só acalmou com o golo do boca de tubarão. e, a partir daí, foi só elogios.
estou farto de um tal de joaquim rita mas agrada-me o facto de não já não ter de ouvir o inefável jorge coroado, espero que definitivamente.
não quero fanáticos a comentar. quero independência e, sobretudo, competência.
do que ouvi e li, fica a impressão de que está tudo em aberto para a segunda mão.

quinta-feira, 4 de setembro de 2008

o Rei também erra

não que já não o tenhamos dito aqui, mas de facto o Rei Eusébio às vezes também erra:



"O Eusébio disse que o Cristiano Ronaldo pode ser melhor que ele. Eusébio erra ao ser demasiado humilde. Não há comparação possível. Eusébio foi único e nunca mais aparecerá no futebol mundial um jogador como ele. Eusébio tem de pensar que os tempos são outros. Ele jogava em campos pelados ou de terra lavrada. Algo semelhante com relva era pura coincidência. Eusébio jogava com chuteiras que pesavam mais que um leitão assado... e com atacadores, os quais muitas vezes faziam desviar a trajectória da bola. Bolas que pesavam chumbo, especialmente quando chovia. Os massagistas no tempo de Eusébio, apesar do mestre Manuel Marques, não tinham os conhecimentos científicos que hoje se verifica. As lesões do Eusébio eram tratadas a realizar jogos. Hoje o Cristiano Ronaldo vive num berço de ouro e joga em relva de platina. Tem os melhores médicos e massagistas do mundo, chuteiras especialmente fabricadas para si, bolas que nem se sente o seu peso e condições de treino e de vida que são absolutamente incomparáveis às vividas pelo 'pantera negra'. Eusébio será sempre o melhor jogador português de todos os tempos. Eusébio a jogar nos dias de hoje nem 200 milhões de euros chegavam para pagar a sua transferência de clube. Ainda está para nascer quem faça ouvir um relator radiofónico a gritar ao microfone: "pegou na bola no seu meio-campo, deriva um pouco para a direita e passa um adversário, finge que deriva à esquerda, entra no meio-campo adversário e passa outro, arranca a grande velocidade, passa outro adversário, finta outro e deixa-o a beijar a relva, ainda outro, o guarda-redes sai ao seu encalço, passa por ele, remata e golo, goooooooooooooooooooolo de Eusééééééébio! É um goooooolo fantástico! É o quarto golo neste encontro! Um espectáculo jamais visto num campo de futebol, amigos ouvintes!"."
João Severino, aqui

segunda-feira, 1 de setembro de 2008

o dia do nosso director desportivo

quem disse que era fácil trocar o lugar de jogador pelo de director desportivo?





a ida à Catedral


a jersey, que resulta melhor ao natural, teve a sua estreia num derby - na foto acompanhada da jersey de manga comprida do La Jo Fai.
o mesmo se passou com o cativo.
o que vi?
1. um Benfica à procura de identidade.
2. um porto forte mas com debilidades que, com a equipa completa, podiam ser aproveitadas.
3. um árbitro a apitar um penalty que se fosse na área contrária era falta atacante.
4. um jogador grego que, depois do que fez, só tinha um caminho: o da saída com rescisão com justa causa.
5. um Benfica inteligente depois de o jogador grego ter acabado com o jogo.
6. o aplauso dos adeptos do porto na passagem do Nélson e dos restantes olímpicos. gostei.
7. um árbitro que não expulsou um jogador uruguaio depois da entrada sobre o Quim.
8. um equívoco táctico ao colocar Reyes e Di Maria de início.
9. um Yebda que é um fernando aguiar evoluído. podia ser pior.
10. um jogador uruguaio assobiado cada vez que tocava na bola.

ficou àquem das expectativas mas ainda assim foi um bom derby.

o delírio do record...

o pasquim record entrou em delírio.

sábado, 30 de agosto de 2008

derby

nada como ir à Catedral ver um derby na minha estreia esta época, já com o prazer de envergar a nova jersey, que ao vivo não é tão feia como no televisor.
melhor, só mesmo a vitória... a ver vamos. 

pressentimento

ontem, quando aterrava em lisboa e à esquerda via a Catedral, onde fui almoçar, poucos minutos depois da aterragem, estava a pensar onde ir passar uns dias estas férias.
lembrei-me do meu programa erasmus e dos bons dias que passei na itália.
lembrei-me de um restaurante de pizzas perto da estação de napóles e dos bons dias que passei por aí. 
lembrei-me do etna. 
lembrei-me da ilha de capri.
e de pompeia.
e que talvez fosse um bom sítio para ir passar uns dias nesta escapadela à europa.
bem, tanto me lembrei que calhou mesmo o nápoles!!

aqui fica o que disse o treinador do nápoles, reagindo ao sorteio.
vou ver as datas e talvez ainda dê para ir até a nápoles!

"Una sfida dal fascino enorme". Edy Reja ci vede la storia dietro questo Napoli-Benfica. Un primo turno di Uefa che ha bagliori di grandissimi palcoscenici europei. Match duro ma anche stimolante.

"Sì, di certo tra le cinque squadre che potevamo incontrare, il Benfica è la più difficile per qualità, storia, tradizione, organico e palmares. Ha giocatori importanti ed anche un blasone di rilievo internazionale. E' un club certamente abituato a questi match di grossa levatura europea, ma anche noi possiamo essere all'altezza del compito". 

La prima al San Paolo, meglio o peggio? "Beh forse avrei preferito giocare l'andata in Portogallo. Ma in ogni caso sarà uno spettacolo bellissimo. Diciamo che si incontrano due squadre simili per calore, passione e nobiltà calcistica. Io direi che questa è una sfida degna della Champions League".

terça-feira, 26 de agosto de 2008

setas

empresta-se (ou vende-se?) o passe do pedro correia.
vende-se o passe do nélson.
agora fala-se num tal de seitaridis que andou pelo clube que alinha de azul... quem fica a ganhar?

motivos para rir?

não, não há motivos para rir.


sábado, 23 de agosto de 2008

de sagres sempre se parte

a sagres faz parte da minha vida por um sem número de razões que agora não são para aqui chamadas.
amanhã - madrugada de segunda-feira, aqui na terra - o Benfica dá o seu pontapé de saída (gosto desta expressão) na liga com o patrocínio dessa marca de cerveja.
renovam-se as esperanças.
mas, e porque já lá vão 3 épocas sem ganhar, desconfio. do treinador, dos reforços, da estrutura. sim, da direcção já não desconfio. são uns incompetentes.
a história do Reyes demonstra bem, e não ponham as culpas em cima do atlético, a incompetência de quem nos dirige.
o papel só chega na sexta-feira antes? parece coisa de clube recreativo e cultural de póvoa e meadas (sem qualquer ofensa para essa grande freguesia do concelho de nisa).
a venda do nélson é capaz de ser um bom negócio. para alguns. a verdade é que comprámos muito sem vender e o dinheiro tem de vir de algum lado.
faça-se silêncio que o Benfica menos português dos últimos anos, vai entrar em campo.
sorte! é o que desej0.

quinta-feira, 7 de agosto de 2008

o risco

sem prejuízo do que já disse sobre o (quase) reforço reyes, parece-me, aqui de longe, que o Benfica está, neste momento, numa fase decisiva. o risco é enorme. se a máquina não engrena nos primeiros jogos, por sinal muito exigentes, arriscamo-nos a ter o Diamantino, sim esse mesmo, o diamante, o zarolho, como treinador principal dentro de um mês.
estamos atrasados na preparação, é um facto.
o Rui Costa está a tentar dar os melhores ao treinador que, ao chegar, deparou-se com uma pobreza franciscana (ou talvez não).
temos um Benfica descaracterizado. só jogadores que falam a língua do treinador, numa equipa tão ou mais castelhana do que muitas que militam na liga de nuestros hermanos.
Balboa, Maxi, Urreta, Aimar, Di Maria, reyes (?) e Cardozo, sem falar na novela luís garcia.
estamos numa situação de "ou vai ou racha".
como accionista da Sociedade Sport Lisboa e Benfica, SAD, gostava de saber de onde vem o dinheiro para pagar a esta gente toda. como adepto e sócio, com lugar cativo, estou-me nas tintas, mas sei que está a ser feito um grande investimento, naquela que é talvez a última cartada do orelhas para se manter no poder. esperamos que dê certo. caso contrário, adivinham-se períodos (ainda mais) difíceis para o nosso querido clube.

terça-feira, 5 de agosto de 2008

reyes magos

caso se confirme a vinda do reyes, será um óptimo reforço. também pode fazer o lugar de segundo ponta-de-lança e assim podemos abandonar de vez a ideia de ir buscar o luis garcia aos periquitos.

ontem, a primeira vitória. Tacuara, quem mais, a mostrar que só no plano do cinema fantástico se podia falar na sua saída.

ontem, conversa muito interessante. sobre(tudo) futebol. com um dos monstros sagrados da comunicação em portugal. alguns dos que aqui vêm sabem de quem estou a falar. uma aula de futebol (do bom futebol) com quem mais sabe. normalmente, no nosso país, quem mais sabe ou é posto de lado ou tem de ir para o estrangeiro. com aquele de quem vos falo, aconteceram as duas coisas.


quinta-feira, 31 de julho de 2008

carta a garcia

continuam as novelas.
primeiro, aimar.
agora, garcia.
pelo meio, sai Armando Teixeira. talvez um dos últimos que sentia verdadeiramente a camisola.
da equipa campeã em 2005, restam o capitão, o luisão, o guardião quim, o guardião moreira e o assis que está, também ele, de abalada.
é pena que seja assim, mas alguém está a ganhar com todas estas transferências e não somos nós, adeptos, com toda a certeza.
depois, e pior, estamos com um défice de portugueses tremendo na nossa equipa. é verdade que os tempos são outros, mas o meu primeiro Benfica era composto por Bento, Pietra, Humberto, Bastos Lopes e Álvaro, Shéu, Carlos Manuel, Diamantino (ou João Alves), Chalana e Néné.
agora... é a sociedade das nações. ainda se conseguissemos vislumbrar melhoras, mas não. contra os rovers, foi o que se viu, contra o zbordém, idem. ah, fizeram uma jangada e passaram a foz do arelho de um lado ao outro.

sobre o Pedro Manuel Torres (ou Mantorras):
deu-nos alegrias, foi um grande jogador mas, sinceramente, não tem lugar numa equipa de alta competição. perceber isso, é meio caminho andado para podermos avançar. 

segunda-feira, 28 de julho de 2008

época de sonho

recebido por correio electrónico esta manhã (GMT+1):

"prepara-te para uma época de "sonho"...
vi os dois jogos e não consegui perceber a táctica, qual a posição dos jogadores novos e de alguns velhos... só consegui enteder que, no benfica, o guarda-redes vai à baliza. de resto... a malta já nem reclama!
abraços"

sexta-feira, 25 de julho de 2008

voltou a bola

este fim-de-semana volta a febre da bola.
hoje Benfica-blackburn, amanhã chelsea contra uns mininos aqui de cantão e depois de amanhã o primeiro derby em que os nossos jogadores vão envergar aquela camisola que, desculpem, não condiz com a nossa história.
tal como no ano passado, por esta altura, aqui ficam os votos para domingo.

terça-feira, 22 de julho de 2008

35 mais o argelino

como é possível que uma estrutura profissionalizada, uma sociedade anónima desportiva cotada em bolsa de valores e um clube com os pergaminhos do nosso Benfica esteja, nesta altura, a pouco mais de um mês do início do campeonato, com 35 jogadores a treinar?
e, pior, que ninguém diga nada. e que até achem isso perfeitamente normal.

a roçar o fantástico é a vinda de um argelino, a expensas do clube (nossas, que também pago quotas e cativo) e que já estava destinado a não treinar com o plantel principal... 
haja competência!